Nutrição do pré-escolar
  Data: 01/09/2004



Crianças de 1 a 4 anos de idade ingerem uma quantidade menor de alimentos, portanto é necessária muita atenção na alimentação delas para atingir as recomendações de nutrientes que são altas neste período.
Aparentemente é difícil atingir estas recomendações. Mas será fácil se seguirmos as orientações médicas e nutricionais como base da alimentação infantil. Para começar devem ser feitas pelo menos 04 refeições ao dia: café da manhã, almoço, lanche e jantar. Como as crianças estão em crescimento, precisam de quantidades maiores de alguns micronutrientes (cálcio, ferro, zinco, vitamina C e vitamina A), que provavelmente estarão baixos ou deficientes. Assim, dê alimentos ricos nesses micronutrientes todos os dias para as crianças:

FERRO
É importante lembrar que entre 1 e 3 anos o risco de anemia ferropriva aumenta, sendo necessário oferecer para a criança alimentos ricos em ferro, como fígado, carne magra, aves e peixes. Tomar um suco de alguma fruta cítrica como a laranja, próximo a refeição é uma boa dica, porque melhora a absorção de ferro.

CÁLCIO
Ele é necessário para o crescimento ósseo e para sua manutenção, por isso as crianças devem comer no mínimo 3 porções do grupo do leite (iogurtes e queijos) todos os dias.

ZINCO
Esse é essencial para o crescimento, sua falta pode causar retardo no crescimento, pouco apetite, e cicatrização deficiente, por isso ofereça com regularidade através de leite, cereais integrais, feijões secos, nozes, peixes, aves, carnes ou frutos do mar.

VITAMINAS
Não podem faltar! A vitamina A é encontrada em vegetais folhosos verde-escuros (como brócolis), vegetais e frutas amarelo-alaranjados (exemplo: cenoura), fígado e ovos. Já a vitamina C nas frutas cítricas (na laranja!) e legumes frescos.

Não é recomendado fornecer dietas baixas em lipídios para crianças abaixo de 2 anos, elas precisam de gordura e colesterol para ajudar no desenvolvimento do cérebro e sistema nervoso. Uma dieta onde é eliminada uma quantidade muito grande de gordura pode atrasar a criança psicológica e emocionalmente. Note, a gordura em quantidade muito baixa é prejudicial, mas a gordura em grande teor também não é aconselhável. Por exemplo, nada impede que uma criança coma frituras, mas comer frituras na maioria das refeições é prejudicial, tanto quanto retirar toda a gordura da alimentação infantil. Por isso nada de encher a alimentação das crianças de gordura!



Fonte: Laranja Brasil/UnB





voltar