Alergias alimentares e fórmulas hipoalergénicos
  Data: 26/04/2004




São vários os fatores responsáveis pelo desenvolvimento das alergias: ambientais, como a poluição e o tabaco; imaturidade da parede intestinal do lactente e flora intestinal em fase de formação; hereditariedade e alguns alimentos. A melhor prevenção da alergia alimentar é o aleitamento materno, uma vez que as fórmulas (leites para lactentes) utilizam o leite de vaca na sua produção. A proteína do leite de vaca é nas crianças de risco a principal causadora das manifestações alérgicas. Na impossibilidade do aleitamento materno e quando existir um risco familiar de alergia, pode-se optar por um leite HA. O que é um leite HA? HA é um leite hipoalergénico, em que a proteína é parcialmente hidrolisada, ou seja, durante o processo de fabricação, o tamanho da proteína é reduzido, de forma a tornar-se menos alergizante, menos “agressiva” para o organismo do bebé. Espera-se assim prevenir o aparecimento de alergia alimentar no lactente. As alergias em geral são cada vez mais freqüentes na infância. Segundo alguns especialistas, 50 % das crianças desenvolverão alergia se ambos os progenitores tiverem história alérgica, 30% se um dos progenitores tiver historial de alergia e 10 a 12% das crianças desenvolverão alergia mesmo sem passado alérgico na família. A questão com a alergia alimentar prende-se ao fato de este tipo de alergia ser, na maioria dos casos, a primeira manifestação alérgica na criança. Este tipo de alergia é o início da chamada “marcha alérgica”, que é desencadeada pela alimentação e pode evoluir para a respiratória, como a asma, rinites e outras complicações, no espaço de alguns anos. As opiniões divergem quanto às fórmulas HA. Especialistas em nutrição aconselham a que o primeiro contacto do lactente com um leite de substituição ao leite materno seja feito com uma fórmula HA, mesmo que não haja alergia na história familiar da criança. Outros especialistas são de opinião que o leite inicial deverá ser uma fórmula tradicional, em que a proteína está intacta (não hidrolisada) e só em caso de história familiar de alergia deverá ser utilizado um leite HA. Ambas fórmulas têm como base protéica a proteína do leite de vaca. No caso dos HA, esta proteína está parcialmente hidrolisada, fragmentada, o que reduz seu potencial alérgico. Nos leites adaptados, a proteína está intacta. No caso do lactente apresentar alergia à proteína do leite de vaca confirmada fórmulas HA não estão indicadas. Se bem que a proteína deste tipo de fórmula esteja parcialmente hidrolisada, o seu tamanho é demasiadamente grande, podendo provocar reações alérgicas graves. Nesta situação está melhor indicado fórmulas altamente hidrolisadas.



voltar