Dietas vegetarianas para crianças
  Data: 12/11/2003




As dietas ovolactovegetarianas são, em geral, saudáveis, mas como com qualquer tipo de dieta, precisam ser vistas com crítica e precauções para a criança e adolescente. Podem as crianças praticar estas dietas? Qual é seu efeito sobre o crescimento e o desenvolvimento? As dietas vegetarianas podem ser ligadas a diferentes tendências: ovolactovegetarianas, que consistem no consumo de vegetais, produtos laticínios e ovos; lactovegetarianas, que incluem os vegetais e produtos laticínios; e vegetarianas puras onde somente se consomem os vegetais. Quando se pensa em dispor uma dieta diferenciada para uma criança, seja por motivos culturais, filosóficos ou religiosos, é necessário ter em conta, como prioridade máxima, sua saúde e seu crescimento. Um estudo publicado na revista Pediatric Clin. North Am., de agosto de 1995, concluiu ainda que a saúde geral e o desenvolvimento das crianças vegetarianas possam parecer normais, apresentam maior risco de desenvolver deficiência de ferro e esta, por sua vez, pode ocasionar um atraso em seu desenvolvimento psicomotor, ainda que reversível. Também se identificou deficiência de vitamina B12, o que pode ocasionar um tipo de anemia ( megaloblástica) e a deterioração do estado neurológico. Têm-se registrados também o raquitismo, ocasionado pela deficiência da vitamina D, além do que o excesso de fibras nestas dietas pode restringir o consumo de calorias, especialmente nos primeiros anos de vida. São numerosos os pesquisadores e profissionais de saúde que concordam em afirmar que o vegetarianismo, em sua forma mais pura, está absolutamente contra-indicado para toda a população em geral e para as crianças em especial, devido a se tratar de uma dieta incompatível com as necessidades da criança em fase de crescimento. Deta maneira sempre procure o pediatra ou nutricionista para a melhor orientação!





voltar