Refrescos, bebida e néctares de frutas
  Data: 11/10/2003




Ao organizar a gôndola de bebidas em um supermercado, qual critério deve ser utilizado para que os consumidores consigam diferenciar um suco de um refresco ou uma bebida de frutas de um néctar de frutas? Segundo Rogério Tocchini, pesquisador científico do Ital - Instituto de Tecnologia de Alimentos -, não existe uma orientação prévia aos supermercadistas e nem mesmo uma fiscalização do governo que exija que esses produtos sejam diferenciados. "Por isso encontramos várias composições de refrescos e energéticos que são comercializados como sucos", diz.

Essa questão em torno da composição de bebidas tem sido mais evidente desde a chegada, ao mercado nacional, de um repositor energético, comercializado e considerado pelos consumidores como um suco de laranja puro. "Se contivesse suco, primeiramente, o produto seria registrado pelo Ministério da Agricultura e não pelo Ministério da Saúde. Mesmo assim, as gôndolas nos supermercados o identificam como suco natural", avalia Tocchini.

É muito importante, tanto para quem vende quanto para quem consome, ler o rótulo dos produtos e identificá-los corretamente.

Abaixo segue uma breve relação de definições de bebidas:
Sucos: desenvolvidos com 100% da fruta e até 10% de açúcar.
Refrescos: varia com a fruta; no caso da laranja, contêm no mínimo 30% de suco, 70% de água e açúcar.
Néctar: tem de conter polpa de fruta e pode conter suco também; no caso da laranja, tem de conter no mínimo 31% entre suco e polpa.
Bebida mista de frutas: 10% de suco e 90% de outros produtos, como água, açúcar etc.

Fonte: Revista Cargill




voltar