Crianças precisam tomar água e devem ser protegidas do consumo de refrigerantes e guloseimas
Data: 23/01/2011

Se alguém ainda tem dúvida de que o refrigerante é um veneno e deve ser mantido longe do alcance das crianças pequenas, é bom ouvir a última parte da entrevista com o pediatra e nutrólogo Rubens Feferbaum, professor livre-docente em pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).
Ele explica porque não devemos introduzir as bebidas carbonatadas no dia a dia da infância e quais são os prejuízos para a saúde a curto e longo prazos trazidos pelo consumo desses produtos.


Além de ser uma caloria vazia, sem nenhum nutriente, o refrigerante prejudica a absorção de cálcio pelo organismo e compete com alimentos saudáveis na preferência das crianças.
Segundo o professor, o refrigerante não deveria nem entrar em casa, o consumo poderia ser restrito a refeições e lanches fora de casa, em lanchonetes, restaurantes e festas.


A família toda deve desenvolver e compartilhar hábitos saudáveis de alimentação, mas, as crianças precisam ser ainda mais protegidas, como explica o professor Rubens Feferbaum neste último trecho da entrevista que apresento hoje.



Criança precisa de água


O consumo de refrigerante é um dos grandes responsáveis pela obesidade infantil. Rubens Feferbaum explica que a criança deve ser hidratada com água, o melhor líquido para ser consumido na infância. Mesmo os sucos devem ser oferecidos com cuidado.


O nutrólogo também fala sobre o consumo de guloseimas como doces e salgadinhos e faz uma lista de doenças relacionadas a esses produtos. Ele enfatiza a importância de uma educação alimentar desde os primeiros anos de vida e diz que isso é papela da família, da escola e dos profissionais da saúde.





Rubens Feferbaum é pediatra e nutrólogo, professor livre-docente em pediatria na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), vice-presidente do Departamento de Nutrição da Sociedade de Pediatria de São Paulo
Crédito: Educar e cuidar, 10/2010


voltar