Ácido siálico: novo nutriente para o cérebro
Data: 20/02/2010


Esta substância, abundante no leite, é determinar a estrutura e as conexões entre os neurônios, de acordo com vários estudos
O leite humano contém componentes que desempenham um papel na nutrição infantil e desenvolvimento de tecidos e órgãos durante os primeiros meses de vida. Estas substâncias não estão presentes nas fórmulas infantis, ou pelo menos não no montante equivalente. Um deles é o ácido siálico, um oligossacarídeo (um tipo de carboidrato) que se acumula no tecido nervoso, especialmente no cérebro.
A concentração de oligossacarídeos do leite humano varia: sua síntese depende da herança genética da mãe, aleitamento materno e da hora do dia, porém, parece ser afetada pela dieta materna. A pesquisa atual procura explicar se o ácido siálico é condicional, durante os períodos de crescimento rápido do cérebro e se confere benefícios para o desenvolvimento do cérebro e da aprendizagem de crianças amamentadas, em comparação com aqueles alimentados com fórmula infantil.

Nutrientes específicos no leite materno
Alto teor de lactose e oligossacarídeos, o consumo equilibrado de proteínas, ácidos graxos poliinsaturados de cadeia longa (LCPUFA) e garantia de ácidos graxos essenciais, concentração adequada de vitaminas (exceto vitamina D) ea oferta equilibrada de minerais é, em síntese, a análise nutricional o leite. Alguns destes nutrientes estão claramente identificadas e estudadas em profundidade. Outros não tanto como oligossacarídeos, apesar de ser o terceiro elemento em quantidade, depois de lactose e lipídios.

Foram isolados cerca de 130 diferentes oligossacarídeos do leite humano, todas compostas por cinco monossacarídeos: glicose e galactose, lactose (), fucose, N-acetilglicosamina (GlcNAc) e ácido siálico (N-acetilneuroamínico), em quantidades muito variáveis. No último foco da pesquisa muitos dos actuais, a sua possível associação com o desenvolvimento do cérebro e da aprendizagem.

Os oligossacarídeos promovem o crescimento de bifidobactérias e lactobacilos da flora intestinal do bebê
Há evidências de que a contribuição do ácido siálico infantil animais suplementados com os resultados experimentais em um aumento em sua concentração no cérebro e afeta a capacidade de aprendizagem. Mas especialistas dizem que o momento da administração é fundamental, uma vez que em animais mais velhos mudanças não foram substanciais. Esta descoberta pode ser de interesse para avaliar a sua inclusão em fórmulas infantis.

Em humanos, os estudos ainda são escassos, mas com fatos concretos. Foi demonstrado como as membranas dos neurônios contêm ácido siálico 20 vezes mais do que outras membranas celulares. Neurotransmissão Acredita-se que essa substância é fundamental para a estrutura eo estabelecimento de conexões entre os neurônios (sinapses), para facilitar.
Autor: MAITE ZUDAIRE Data de publicação: Fevereiro 5, 2010





voltar