Alimentos nota 100
Data: 02/02/2009

Dos 25.000 alimentos catalogados até agora, apenas 15 receberam nota 100, a pontuação máxima, com destaque para a laranja.

O projeto amadureceu em 2003, quando a Secretaria de Saúde dos Estados Unidos pediu a estudiosos sugestões para conter as epidemais de diabete, obesidade e de outros males capazes de encurtar a vida, relacionados a uma dieta equivocada. “O que eu propus foi justamente um índice para medir a qualidade nutricional dos alimentos, além de um jeito objetivo de ranqueálos”,

A operação matemática cujo resultado aponta quão poderosa é de fato uma flor de brócolis ou quanto vale a pena comer a laranja que é efetuada pelo cálculo batizado de Overall Nutritional Quality Index (em português, algo como índice geral de qualidade nutricional). Ele é até singelo. Cada nutriente equivale a um determinado número de pontos, estimado conforme sua importância — comprovada em diversos estudos — para a saúde e a longevidade. Portanto, a presença ou a ausência de um nutriente pode fazer uma comida ganhar ou perder pontos.

O ranking está sendo considerado tão revolucionário para ensinar as pessoas a fazer as melhores escolhas que, nos Estados Unidos, acaba de ser inventado o selo do NuVal — sigla que se refere ao escore nutricional. Pois bem: o tal selo já está sendo estampado em etiquetas coladas nas hortaliças e em embalagens de diversos produtos.

Dos alimentos catalogados até agora, apenas 15 receberam nota 100, a pontuação máxima. São vegetais em que vale a pena investir

Os brasileiros se ressentem da falta de certo sabor nacional no ranking — que, óbvio, deu preferência nessa fase inicial àquilo que faz parte da cozinha dos americanos.

A receita do cálculo

A fórmula que resulta no ranking foi concebida em 2006. Ela leva em conta 30 nutrientes, alguns bem-vindos e outros nem tanto. Na hora da conta, os cientistas se valem da composição do alimento para estimar os pontos vindos das substâncias nota 10 e os pontos fornecidos por um ingrediente de potencial nocivo. Daí, dividem o escore dos componentes benéficos pelo dos componentes indesejados. “A qualidade dos nutrientes também pesa na hora de fechar o raciocínio. O resultado vai de 1 a 100”, diz a nutricionista Lauren Rhee, que integra a equipe do NuVal.

PONTOS DOS NUTRIENTES BEM-VINDOS ÷ PONTOS DOS NUTRIENTES INDESEJADOS = PONTUAÇÃO DO ALIMENTO
(1 a 100)





voltar