Brasil cumpre meta contra desnutrição infantil, diz Unicef
  Data: 02/05/2006


Um relatório divulgado nesta terça-feira pela Unicef (o fundo da ONU para infância e a adolescência) afirma que o Brasil "vem cumprindo a meta de reduzir a subnutrição infantil em 50% até 2015".

O texto, intitulado Progresso para as Crianças - Um Relatório sobre Nutrição, acrescenta que o índice de crianças subnutridas no Brasil é de 6%, o que é "um índice relativamente baixo".

O documento da ONU cita as chamadas metas de desenvolvimento do milênio, firmadas pela comunidade internacional, que se comprometeu a tentar reduzir o número mundial de crianças subnutridas com menos de 5 anos em 50%, entre 1990 e 2015.

Mas o estudo afirma também que as crianças pobres no Brasil são 3,6 vezes mais propensas a sofrer de subnutrição do que crianças ricas, o que faz do país o quarto mais desigual na América Latina no quesito, ficando atrás apenas de Paraguai, Nicarágua e Bolívia.

O relatório adverte, ainda, que apesar de contar com índices positivos, "o Brasil não realiza uma pesquisa nacional sobre subnutrição infantil desde 1996".

Contrastes

O estudo afirma que a América Latina e o Caribe e os países do leste asiático e do Pacífico são as regiões que mais vêm cumprindo as metas de redução da subnutrição infantil.

O relatório mostra que 73% das cerca de 146 milhões de crianças com menos de cinco anos subnutridas do mundo em desenvolvimento vivem em apenas 10 países.

A lista é encabeçada pela Índia (57 milhões), seguida por Bangladesh (8 milhões), Paquistão (8 milhões), China (7 milhões), Nigéria (6 milhões), Etiópia (6 milhões), Indonésia (6 milhões), República Democrática do Congo (3 milhões), Filipinas (3 milhões) e Vietnã (2 milhões).

Segundo o relatório, os indicadores dos maiores países do Oriente Médio e do norte da África ajudaram a derrubar o índice regional, uma vez que o Iraque, o Sudão e o Iêmen estão sofrendo aumentos nos seus números de subnutrição infantil.

A Unicef afirma ainda que o índice de subnutrição infantil "caiu pouco desde 1990, o que prova que o mundo está em falta com as crianças".
Fonte:BBC



voltar